Rosa Infernal.

Em meio as chamas, a dor lascinante e berros em desespero;
Cultivei meu jardim, alí floresceu uma rosa;
Em meio a terra desolada, com rochas e aguas paradas;
Nasceu uma flor; e com tempo aprendi a amar seu cheiro;
A delicadeza das suas petálas e o rubro de seu corpo;
E nela nasceram espinhos;
E com o tempo os espinhos, tornaram-se venenosos...
Há aqui um jardim, nele sou permitido apenas observar;
Sua fragrância, sou proibido de sentir;
E o toque a mim tornou-se mortal;
E mim que a cultivei; apenas é permitido lembrar.

3 comentários:

Rart og Grotesk disse...

nossa, a rosa se tornou perigosa!! belíssimo poema!
Obrigada pela visita! Abraço!

http://artegrotesca.blogspot.com

... disse...

Quem é essa rosa pra vc?
O que que cultivasse com tanto carinho que lhe trouxe tanto prazer agora se limita a te trazer dor?

AnnaClaudia disse...

Apenas devo concordar que o melhor é apreciar a beleza a distancia.... rosas geralmente ferem.....